Termos Esotéricos em Ordem Dos Fantasmas





ANDRÓGINO - É um símbolo da totalidade, do alfa e do ômega. No início, a oroboros, quando ainda não existia a diferenciação dos opostos, e o final, o produto da conjunctio, da integração dos opostos que se havia diferenciado no curso da existência. Na alquimia, esta imagem representa o Mercúrio.
ANIMAL - Simboliza os poderes do inconsciente e o nosso lado ligado aos instintos. Por vezes o animal aparece simbolizando o processo de individuação, que em sua origem, constitui-se num instinto natural do ser humano.
ÁRVORE - É frequentemente um símbolo de centralização da psique individual, do SELF e que pode ser visto como o sustentáculo do mundo.
BARBA - É um símbolo de sabedoria. Na Antiguidade, as imagens de animais com barba simbolizavam que se tratava de um animal cerimonial e simbólico posto que a barba era considerada sagrada nessas imagens.
BATIDAS NA PORTA - Simboliza os conteúdos que foram deixados de fora do ego e desejam ser ouvidos, solicitando sua participação na consciência.
BIBLIOTECA - Imagem que representa o acúmulo de conhecimentos herdado não apenas pelo indivíduo, mas também pelo coletivo, é um símbolo do depósito do esforço individual de toda uma vida.
BOCA - Símbolo da força criadora, muito embora ela tanto tenha o poder de destruir como o de criar através da palavra. Existe uma associação entre fala, boca e fogo, daí que se pode dizer em relação às palavras proferidas, que elas são inflamadas, pois a fala assim como o uso do fogo, é um derivativo do uso da energia psíquica.
CANDELABRO - Símbolo da luz espiritual é uma derivação da árvore sagrada, um símbolo da cabala judaica.
CAVERNA - Na antiguidade sempre foi considerada como sendo um lugar sagrado, ligado ao útero da Mãe - onde ocorrem as transformações e os renascimentos que simbolizam a profundidade da natureza interior. A caverna se constitui ainda num símbolo da busca interior que nos leva pelo caminho da individuação. 
CHAVE - Possui uma analogia com os poderes da iniciação. O iniciado é o possuidor da chave, o conhecedor dos segredos e o único capaz de ter a chave para que possa abrir as portas que dão acesso aos mistérios da iniciação.
CHUMBO - Simboliza o princípio de onde parte a evolução e a incorruptibilidade.
CÍRCULO - Simboliza a alma e o Si - Mesmo, encontrando-se vinculado ao simbolismo da mandala e da eternidade, o início e o fim da vida humana, é a óroboros e o símbolo da meta a ser alcançada, a união dos opostos na psique. Os círculos mágicos costumam funcionar como um território pertencente a Deus, um espaço delimitado, um lugar redondo, reservado para um propósito arquetípico e numinoso que é utilizado para concentrar o que está dentro e excluir o que está fora. É a imagem símbolo de uma realidade psíquica interior do homem.
COLAR - O colar como qualquer outro adorno que se use ao redor do pescoço possui uma simbólica de destino. Os ornamentos de pescoço onde vemos chapinhas ou arranjos de pedras preciosas, costumam aparecer simbolizando o tipo de destino da pessoa em questão.
COMIDA - O ato de comer alguma coisa tem o significado de incorporá-lo, de torná-lo corpo, e, por conseguinte indica que um conteúdo inconsciente está pronto para ser assimilado pelo ego, e está associado à operação da alquimia denominada Coagulatio. O corpo de Cristo é consumido na celebração eucarística da missa.
COMPANHEIRO - A imagem do companheiro interior é um símbolo do SELF.
COZINHA - Tem por vezes o caráter de laboratório alquímico, o lugar onde ocorrem as mais profundas transformações. Considerada o centro da casa era onde ocorriam os cultos domésticos e era comum que os deuses fossem colocados sobre o forno e o fogão. Pela característica de transformação dos alimentos é associada ao estômago. Por vezes a cozinha aparece simbolizando a emoção, pois ela ilumina e aquece numa demonstração de que o fogo da paixão também é capaz de nos iluminar.
CRÂNIO - A imagem do crânio não é meramente uma imagem da morte, ela aparece com frequência no simbolismo alquímico e é aquela parte do ser humano que não se desintegra como acontece com o corpo. É o CAPUT MORTUUM, a caveira que sobra depois que o fogo purificador consumiu toda a matéria inútil. Os alquimistas usavam o crânio como um recipiente onde cozinhavam a matéria-prima.
CRIANÇA - Mitologicamente ela pode representar o SELF ou Puer Aeternus (Deus Criança). Simboliza o começo e a plenitude das possibilidades, ela representa a capacidade do SELF de acertar pela ausência do senso crítico, é a espontaneidade autêntica que gera a capacidade de fazer a coisa certa, simbolizando a essência pré e pós-consciente do homem. A palavra Puer Aeternus aparece primeiramente nas Metamorfoses de Ovídio para referir-se ao Deus-criança. Na mitologia grega este Deus-criança é identificado, principalmente, com Dionísio e Eros. Hoje, usa-se o termo com o significado de “juventude eterna”. 
DESCIDA - A descida às profundezas é uma imagem que pode simbolizar uma viagem ao mundo do inconsciente. Se acaso houver nessa descida vestígios de civilização, é possível que ela aponte que determinados conteúdos que jazem no inconsciente já foram conscientes e desejam retornar à consciência. A descida para o interior da terra simboliza o retorno para o “ventre materno”, um mergulho no inconsciente para fins de renascimento.
DEZ - É considerado um número de totalidade que simboliza a conclusão e a fecundidade.
ESPELHO - É um símbolo do saber, do autoconhecimento e da consciência tendo como resultados, a verdade, a clareza e a reflexão.
FACA - Considerada um instrumento de sacrifício, além de ser um símbolo da mente que repele qualquer convicção tida como tradicional.
FERRO - É o símbolo do deus Marte e da guerra, além de ser o material tradicional, tem a capacidade mágica de afugentar ou prender demônios e bruxas, assim como é considerado portador de um poder curador mágico.
FLOR - É considerada como sendo um símbolo da alma.
FORMIGAS - São consideradas símbolos dos instintos.
GATO - Símbolo da clarividência e dos poderes mediúnicos.
ILHA - É um símbolo feminino que representa uma área isolada da psique sobre a qual o indivíduo possui um conhecimento limitado, pois não consegue ligação com o resto da personalidade consciente uma vez que está contida pelo mar, num simbolismo que se refere ao inconsciente da psique, portanto um símbolo de isolamento. Na mitologia a imagem da ilha nos remete simbolicamente ao Paraíso Perdido.
JANELA - Simboliza a receptividade e a abertura para as influências vindas de fora, sendo um símbolo da consciência.
LUZ - É um dos símbolos da consciência e da intensidade afetiva, sendo uma expressão da energia psíquica. Sendo a luz associada à força criadora podemos entender o sêmem também por luz, que é a substância que contém o princípio criador.
MENDIGO - Imagem que simboliza o arquétipo da sombra, o nosso mendigo interior que quer ter seu lugar na consciência. Quando o animus aparece na imagem de um mendigo, pode estar simbolizando a pobreza da vida consciente da sonhadora, o seu ceticismo e a sua dura autocrítica.
MESA - A mesa representa um símbolo espiritual, tal como a Távola Redonda ou na Última Ceia de Da Vinci como símbolo do centro espiritual preservador da tradição. Os cavaleiros da Távola Redonda foram aqueles que saíram em busca do Santo Graal, isto é, em busca da experiência da totalidade, do SELF.
MONTANHA - O símbolo da montanha também pode ser considerado como sendo uma das representações do SELF, tanto que em todas as tradições aparece como sendo uma imagem da imortalidade. Ela é um local onde se processam as revelações ou a meta de uma longa busca para a eternidade. Costuma ser um local de iniciação e que corresponde simbolicamente ao “Eixo do Mundo”. Alguns ritos funerários descrevem as almas dos mortos subindo montanhas e no idioma assírio, o verbo morrer possui o significado de “apegar-se à montanha”.
NOME - Desde tempos remotos atribui-se um poder mágico ao nome, e o ato de saber o nome secreto de uma pessoa corresponde a obter poder sobre a mesma. Colocar nome em alguém é o mesmo que lhe dar uma personalidade ou alma, que corresponde a dar poder. Na mitologia egípcia, quando Isis obriga  a lhe dizer seu verdadeiro nome, ela usurpa-lhe o poder.
OLHO - Simboliza o pavor da tomada de consciência, que em decorrência da culpa, pode nos levar a situações aterradoras. A imagem do olho pode ainda aparecer simbolizando o colo materno, o protetor da criança que tem pavor da consciência. Na imagem do olho encontra-se a pupila, a criança.
PEIXE - É considerado um símbolo de Cristo, além de um dos símbolos do SELF. São vistos como símbolos transcendentais de profundidade e podem simbolizar um conteúdo emergindo espontaneamente do inconsciente. O peixe tem um duplo aspecto, tanto de redentor como daquilo que deve ser redimido. No signo zodiacal de Peixes, encontramos dois peixes que nadam em direções antagônicas, como uma representação do bem e do mal, do Cristo e do Anti-Cristo. Em diversos mitos, simboliza a revelação da profunda sabedoria. Ele traz em si o simbolismo de renovação e renascimento, além de simbolizar os conteúdos autônomos do inconsciente.
REBANHO - Simboliza o instinto gregário e a tendência a submissão.
SAL - É considerado um símbolo do conhecimento. Na alquimia, ele é um princípio de Eros, pois é através da experiência dos sentimentos que advém a sabedoria; e a forma “SAL DA SABEDORIA” deriva do fato de fornecer ao indivíduo um profundo poder espiritual. Para alguns alquimistas, era o único elemento capaz de combater o demônio. Elemento de sacrifício, purificação, transformação e mistérios. Tendo visto o significado simbólico da comida, dando sabor a mesma. Em Latim significa “espírito ou gracejo”.
SELF - É uma representação do divino em nós, um símbolo da totalidade da psique. O SELF simboliza a imagem psicológica de Deus na psique.
SERPENTES - Costumam simbolizar o sistema nervoso autônomo, a energia instintiva e são símbolos transcendentes de profundidade que costuma também estar associado à sabedoria, à cura e ao autoconhecimento.
SETE - O número sete indica mobilização para levar adiante uma missão. Ele é mágico e sagrado em mitos, contos de fadas e crenças populares. É um número que significa perfeição, além de um ciclo completo de tempo. Ele une simbolicamente o céu e a terra, o masculino e o feminino, as trevas e a luz.
SILÊNCIO - Num ambiente de silêncio, o inconsciente pode estar simbolizando que o ego encontra-se receptivo a uma revelação.
SÍMBOLO - É uma imagem oriunda do inconsciente, que se torna a expressão de uma experiência interior.
SONHO - Simbolizam a necessidade de penetração de seus conteúdos na consciência.
TRÊS - É um número sagrado que costuma simbolizar o princípio divino.
TRIÂNGULO - A trindade simboliza um processo de desenvolvimento que se desenrola no tempo. O triângulo apresenta-se como dois opostos que se unem no alto por um terceiro elemento. A trindade pode ser indicada como símbolo da individuação enquanto processo. 
TRONO - O simbolismo do trono é de entronização ou de tornar-se uno com Deus.
URSO - Divindade cultural mais antiga do mundo considerada símbolo do inconsciente, ligado à terra-mãe, e é uma representação simbólica de nossos instintos.
VASO - Simboliza o ego individual capaz de transportar a consciência transpessoal. A imagem do vaso partido indica que o ego, o recipiente pode não suportar caso se deposite um excesso de conteúdos que até então se encontravam inconscientes.
VELA - Símbolo da luz resultante de uma atitude compreensiva, a clareza da mente que se abre para penetrar no inconsciente e o fertilizar.
VELHICE - É símbolo de sabedoria como uma resultante da experiência adquirida ao longo da existência. A imagem de um homem velho representa aquilo que foi denominado por Jung de arquétipo do “velho sábio” e que nada mais é do que uma personificação do eixo ego-si-mesmo.
VIDRO - Em certos escritos alquímicos é comparado a uma substância miraculosa e é um símbolo da matéria espiritual. É um material que sem nos isolar intelectualmente das coisas, isola-nos do contato animal.
VINHO - É considerado um símbolo do sangue de Cristo no simbolismo cristão da Missa. Na alquimia, é sinônimo da aqua permanens, uma das substâncias mais importantes no laboratório alquímico - está água, como expressão do mercúrio alquímico, tem poder transformador e funciona também como um espírito libertador.