Um Livro para Maçon Ler





Num contexto Maçônico o objetivo de todo empreendimento intelectual deve ser o de decifrar e compreender o que está por trás da multiplicidade enganosa das coisas, na esperança de descobrir seus “modelos” ou “formas” eternas. Obviamente, nosso conhecimento imediato do mundo externo é um conhecimento de “cópias” sensíveis, sendo impossível ser de outra forma. Mas, o importante sobre este processo de conhecimento é compreender a verdadeira natureza das coisas, ir além do que é dado a nós. Maravilhosamente ilustrado nessa passagem em Ordem dos Fantasmas:

- Qual delas é a verdadeira?

- Como vou saber?

- Deixando sua visão tatear as imagens... Deixe que ela sinta o teor simbólico das formas... e ouça o que ela diz!...

- Mestre! A segunda é a verdadeira!

- Por quê?

- A segunda tem a ponte sobre o ombro esquerdo. A ponte simboliza a ligação entre o que é percebido e aquilo que está além da percepção.

(Ordem dos Fantasmas –Pág.167-Ebook-170-Papel)

O Irmão Maçônico deve sempre mostrar discernimento e uma crescente capacidade de distinguir as cópias de seus modelos, o falso do verdadeiro, e sempre saber onde precisamente “este mundo” termina e onde o outro mundo “começa”. Por essa razão o autor nos lembra:

- Cuidado com as palavras meu rapaz. Alguém disse que o Sol girava em torno da Terra; outro, por sua vez, disse que a Terra girava em torno do Sol. O segundo provou que estava certo; mas a cada nascer e entardecer de um dia damos razão, ao primeiro!

- Estou ciente.

- Então sabe o perigo de ficar perdido no misterioso universo das palavras!

(Ordem dos Fantasmas –Pág.117-Ebook-120-Papel)

Finalmente, o Irmão Maçônico deve ser íntimo da hermenêutica: ele sempre sabe distinguir o sinal do significado, o símbolo do simbolizado, e assim por diante. A natureza é “um sistema de símbolos”, e nossa ascensão à realidade última ocorre como resultado de “aprender a passar dos símbolos às realidades não-sensíveis simbolizadas”. Conhecer o mundo é essencialmente um processo de interpretação, ou melhor, de leitura!


G.F.’.