O Sal e o Saleiro


O sal simboliza principalmente conservação e durabilidade. Na Grécia antiga, quando se dizia ter comido um alqueire de sal com alguém, significava ter uma amizade de longa data.

Muitas vezes para falar em ajuntamento e reunião os gregos usavam a expressão “comer sal com”. A importância do sal na vida diária dos romanos era tal que os legionários eram remunerados com uma quantia básica para comprar sal: o salarium. Daí vem o conceito de salário. 

No antigo Oriente Médio (onde se desenrola a maior parte da história bíblica) se confirmava um compromisso por meio de presentes de sal, o qual era o símbolo da fidelidade, da constância e da hospitalidade.

A idéia do pote de sal virado ao lado de Judas ser sinal de mau agouro esta ligada a uma citação do Antigo Testamento, "após a destruição de uma cidade era costume lançar sal no seu solo como símbolo de juízo perpétuo, infertilidade e maldição"(Juízes.9-45). Mas no Novo Testamento, Jesus e Paulo aprofundam o simbolismo do sal na sua qualidade de preservar e dar sabor as coisas: ...o cristão é o sal da terra (Mateus 5.13); ...portanto deve ter sal em si mesmo e paz com os outros(Marcos 9.50).

O sal está presente em rituais religiosos de diversas épocas e civilizações. Nas crenças populares, ele é um ingrediente obrigatório para afastar energias negativas e mau-olhado. Em várias culturas, acredita-se que o sal tem o poder de afastar espíritos densos e as energias negativas. Por essa razão, era oferecido aos deuses para afastar os demônios e muitos sacerdotes utilizavam-no nos rituais e nas cerimônias mágicas. 

Considerado símbolo da incorruptibilidade pelos árabes o sal é usado para selar um contrato ou acordo.