Os Xarás



- Se preparar pra quê?
- Para o inesperado. Como seus xarás: Ionesco, Brecht, O'Neill e Delacroix. E pode começar agora!
- Gostaria de saber como...
(Ordem dos Fantasmas – *Ebook Pág.86 – *Físico Pág. 88)

As peças de Ionesco retratam de uma forma tangível a solidão do ser humano e a insignificância da sua existência. Ele não queria que suas obras fossem categorizadas como Teatro do Absurdo, preferindo em vez de absurdo, a palavra insólito. Ele percebeu no termo insólito um aspecto ao mesmo tempo pavoroso e maravilhoso diante da estranheza do mundo, enquanto a palavra absurdo seria sinônimo de insensato, de incompreensão. “Não é porque não compreendemos uma coisa que ela é absurda”, resumiu seu biógrafo André Le Gall.
Eugène Ionesco
Slatina, Roménia, 26/11/1909 - Paris, 28/03/1994.

Brecht afirmava que cada palavra deve encontrar um significado visual e através do gesto o espectador pode compreender as alternativas da cena, assim revolucionou a teoria e a prática da dramaturgia e da encenação, mudando completamente a função e o sentido social do teatro, usando-o como arma de conscientização e politização. Sua principal obra Um Homem é um Homem, fortalece a ideia do homem como um ser transformável.
Eugen Berthold Friedrich Brecht
Augsburg,10/02/1898 - Berlim Leste, 14/0/1956. 

O’Neill foi um dramaturgo anarquista socialista. O Catolicismo do pai e o misticismo da mãe, criaram uma confusão na cabeça de O'Neill em relação a Deus e à Religião, vindo a caracterizar o comportamento desregrado de seus personagens que habitam as margens da sociedade. Suas peças envolvem graus de tragédia pessoal e pessimismo que influenciaram Nelson Rodrigues e o Teatro Experimental do Negro de Abdias do Nascimento
Eugene Gladstone O'Neill
Nova York, 16/10/1888 - Boston, 27/11/1953.

Para Delacroix a imaginação era "a rainha das faculdades", não como um devaneio espontâneo, mas como uma capacidade construtiva de combinar e compor imagens, a imaginação não estava livre da razão. Delacroix encontrou sua própria forma de criar, dando corpo, muitas vezes inesperado às ideias. Sua obra é daquelas que transmite convicções fortes, lembrando à memória sentimentos e pensamentos poéticos já conhecidos, mas que se acreditava enterrados para sempre no passado. 
Ferdinand Victor Eugène Delacroix
Saint-Maurice, 26/04/1798 - Paris,13/08/1863.